9 principais erros de uma administração escolar

A implantação de um sistema de administração escolar de qualidade e eficiência demanda uma série de medidas fundamentais para o cumprimento dos objetivos de toda a comunidade escolar. A combinação dessas ações pode resultar em uma educação de excelência e, consequentemente, gerar um case de sucesso.

Nesse sentido, refletir sobre os principais aspectos da gestão escolar é uma forma muito eficiente para reconhecer as falhas e os acertos da administração de modo a possibilitar soluções satisfatórias para os problemas e ainda ampliar as práticas que estão produzindo resultados positivos.

Mas, afinal, o que leva uma instituição de ensino a cometer equívocos durante sua administração? Sabemos que algumas situações como o planejamento e a utilização da tecnologia em favor da educação são aspectos fundamentais para uma gestão competente.

Por isso, para ajudá-lo a entender melhor acerca desse importante assunto, trouxemos, neste texto, os 9 principais erros que são cometidos por gestores escolares. Continue sua leitura e veja quais são para fugir deles de uma vez por todas!

1. Falta de planejamento escolar

Em uma gestão escolar, é essencial pensarmos sempre em proficiência. Assim, gerir uma escola sem reunir a equipe de professores e técnicos administrativos, sem traçar a metodologia de ensino a ser utilizada durante o ano letivo ou sem ao menos estabelecer objetivos educacionais básicos é um grande erro que deve ser evitado.

A falta de planejamento, ou um planejamento que não dialoga com a comunidade escolar como um todo, contribui para práticas equivocadas e ineficazes. Com isso, o resultado pode ser desastroso: perda de tempo, de recursos, desmotivação de pais, alunos e funcionários, insucesso dos processos e, ainda, causa a desqualificação da marca.

2. Falta de transparência na relação com os pais

Desconhecer a rotina dos filhos dentro da escola é o primeiro passo para abalar a relação entre os pais e toda a comunidade escolar. A participação da família é muito importante durante toda a educação dos alunos, pois, além de contribuir para o seu desenvolvimento contínuo, mantém os responsáveis engajados e satisfeitos com os objetivos da escola.

Qual pai ou mãe não ficaria surpreso ao ser chamado pela escola no último trimestre e ser avisado que o filho corre o risco de perder todo o ano letivo? Assim sendo, não estar informado sobre o método de ensino, as práticas pedagógicas e questões disciplinares contribui para o mau desempenho do aluno, já que os pais pouco podem fazer.

3. Incapacidade de lidar com a inadimplência

Um dos problemas mais graves para a gestão escolar atualmente é a inadimplência observada nas instituições. Sem campanhas capazes de reverter a situação, pelo menos em parte, além da falta de gerenciamento das finanças, as escolas acabam fechando o ano no vermelho, o que compromete a administração escolar e a captação de novos alunos.

Além disso, a falta de recursos reflete diretamente na falta de infraestrutura física, na queda do nível de qualidade do material didático, na capacitação dos docentes e técnicos administrativos, entre outros.

4. Pouca valorização dos professores

Ignorar o esforço da equipe responsável por gerir a escola tende a fazer com que professores e funcionários não vistam a camisa da instituição. Com isso, aquele professor que se dedicava à preparação das aulas, ou aquele funcionário que cuidava das salas como se fossem da sua casa, pensarão duas vezes antes de se esforçar tanto.

Nada mais justo do que premiar, de alguma forma, aqueles que se destacaram durante o ano letivo em suas determinadas áreas. É uma maneira de motivar a equipe a sempre evoluir e a participar das decisões de forma democrática.

5. Desvincular a tecnologia da administração escolar

Adotar a tecnologia nas salas de aula é uma tendência inevitável. A evolução do mundo segue a passos largos e os estudantes acompanham esse crescimento. Com isso, o processo de aprender está cada vez mais dinâmico e participativo e oferecer um ensino de qualidade está diretamente relacionado a essas práticas.

Nesse sentido, fingir que smartphones, tablets e toda a parafernália tecnológica e moderna não existem é a mesma coisa que dizer: “não quero evoluir e prefiro, propositadamente, manter um sistema de aulas tradicional e monótono”.

6. Não estabelecer metas e objetivos para a instituição

O estabelecimento de metas faz com que um plano de ação seja delimitado. Assim, fica mais fácil evitar alguns problemas que possam surgir pelo caminho, como a desconexão entre conteúdos, falta de objetivos nos cursos ou mesmo o desinteresse dos alunos.

Além de serem muito importantes para o desenrolar do curso, as metas e os objetivos fazem com que os alunos desenvolvam um senso de propósito e passem a enxergar motivos por meio das decisões do corpo docente. Essa medida permite que eles sejam tratados de forma mais igualitária enquanto participantes na construção do conhecimento.

7. Não investir na qualificação dos funcionários

Funcionários qualificados fazem com que a instituição tenha uma credibilidade ainda maior. É um erro não pensar na falta que faz o desenvolvimento de aptidões na equipe de funcionários, afinal, eles estão sempre em evidência e oferecer um atendimento de qualidade é essencial.

Dessa forma, investir em cursos, palestras, workshops são formas de suprir possíveis ausências na educação da equipe, além de auxiliar no crescimento pessoal de seus colegas de trabalho. O trabalho desenvolvido certamente terá mais qualidade e será feito com maior disposição.

8. Não utilizar softwares de gestão

Os grandes problemas na administração de uma escola estão ligados à falta de utilização de um software de gestão. Esses programas são muito úteis na rotina administrativa, pois integram, simplificam e agilizam todos os processos sem perder a excelência na manipulação dos principais fatores de um gerenciamento habilidoso em todos os setores da escola.

Além disso, desenvolver uma gestão escolar é uma forma muito eficiente para otimizar todos os processos do estabelecimento de ensino, bem como promover uma excelente experiência educacional para pais, alunos, professores e funcionários da escola. Afinal, essa organização é imprescindível para o progresso das instituições de ensino.

9. Desconhecer a computação nas nuvens

A computação nas nuvens é um sistema que fornece bancos de dados, armazenamento de informações e outros serviços pela internet. Com isso, esse é um sistema que proporciona inúmeras facilidades para seus usuários, entre as quais podemos destacar: segurança das informações, velocidade do processamento, baixo custo e acesso remoto em qualquer hora e lugar por meio de qualquer dispositivo com acesso à internet.

Logo, pensar nas estratégias de tecnologia da informação é um processo muito importante na gestãoeducacional. Embora seja amplamente negligenciado por muitos gestores, utilizar esse sistema atribui uma melhora significativa na rotina administrativa dos estabelecimentos de ensino e não a utilizar é um grande erro.

Conhecer esses aparatos ajuda na integração entre professores e alunos, além de ser uma forma de aprendizagem mútua sobre a administração escolar. Portanto, como se vê, é possível “pinçar” erros e aprender com eles para evitar uma desastrosa administração escolar.

Deixe um comentário